Pelo menos dez pessoas morreram durante os protestos no Egito

Pelo menos dez pessoas morreram em confrontos no Egito, depois de as Forças Armadas destituírem o presidente Mouhamed Mursi e suspender a Constituição. Nas manifestações contrárias e favoráveis à deposição de Mursi, seis pessoas morreram em confrontos em Marsa Matruh.

Em Minia, no Sul do Egito, três pessoas morreram e 14 ficaram feridas. Uma pessoa morreu e 12 ficaram feridas, em Alexandria, a segunda cidade do Egito. Em Al Fayum, não houve mortos, mas 70 pessoas ficaram feridas. 

O presidente nomeado pelas Forças Armadas do Egito, Adly Mansour, de 67 anos, tomou posse hoje (4) e prestou juramento diante da Suprema Corte Constitucional do Egito, a qual ele comandava até ontem.

Mansour ficará interinamente no poder até que sejam realizadas eleições presidenciais, segundo as Forças Armadas. O interino substitui o presidente deposto Mouhamed Mursi. A nomeação de Mansour foi anunciada pelo ministro da Defesa, Abdel Fattah Al Sisi, quarta-feira. Mansour foi nomeado interino apenas dois dias após assumir a Presidência da Suprema Corte do Egito.