Militares egípcios dão prazo de 48 horas ao governo

Forças Armadas exigem uma resposta aos pedidos da população

As Forças Armadas do Egito deram um prazo de 48 horas para que as forças políticas do país respondam aos pedidos da população. Em caso contrário serão obrigadas a apresentar um plano de transição cuja aplicação será controlada "diretamente". O comunicado foi lido pela televisão estatal egípcia. 

O documento foi elaborado pelo Supremo Conselho Militar egípcio presidido pelo ministro da Defesa e comandante das Forças Armadas, Abdel Fattah el Sissi, sem a participação do presidente Mohamed Mursi. 

Milhões de pessoas saíram às ruas no último domingo para exigir a renúncia do mandatário, membro da Irmandade Muçulmana.    

Um enorme grito vindo dos milhares de manifestantes que ainda ocupam a praça Tahrir, símbolo dos protestos contra o ex-presidente egípcio Hosni Mubarak, celebrou a notícia. "O povo quer a queda do regime", foi o slogan dos manifestantes no local.