Snowden não será extraditado aos EUA, diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que Edward Snowden, o ex-analista dos serviços de inteligência norte-americanos que revelou a existência do programa de monitoramento de dados "Prism", permanece na área de trânsito do aeroporto de Moscou e não será extraditado para os Estados Unidos, porque não cometeu nenhum crime e porque não existe nenhum tratado internacional que regule o caso. 

"Snowden é uma pessoa livre, e o quanto antes irá escolher o ponto final de sua permanência que melhor será para ele e para todos nós", declarou o presidente russo. 

Putin definiu como "um delírio" as acusações feitas por Washington contra Moscou, que "não teriam sentido".