Nações Unidas condenam ataques suicidas em Bagdá

O enviado especial das Nações Unidas ao Iraque condenou fortemente nesta terça-feira os ataques que mataram e feriram dezenas de manifestantes no norte da capital do país, Bagdá. Martin Kobler afirmou que tais atos "buscam aumentar as tensões na região de Tuz Khurmatu", que segundo ele, já é uma área sensível.

Segundo agências de notícias, dois homens-bomba explodiram uma tenda com manifestantes turcomanos, matando pelo menos 11 pessoas e ferindo outras 55.  Eles protestavam por mais proteção e segurança na região, que é frequentemente alvo de ataques.

O representante da ONU fez um apelo aos líderes iraquianos pela garantia de proteção às comunidades do país e para que tomem todas as medidas para neutralizar "uma situação alarmante".

Kobler reforçou sua condenação a todas as formas de violência e enviou condolências aos familiares das vítimas.

Segundo a ONU, os últimos meses têm registrado recordes de mortos no Iraque. Só em abril, 712 iraquianos foram assassinados e 1,6 mil feridos.

Em maio, o total de mortos em atos de violência no país chegou a 1,045, sendo que 2,3 mil ficaram feridas. Os dados são da Missão das Nações Unidas de Assistência ao Iraque, Unami.