Exército do Líbano promete responder a eventuais ataques da Síria

O Exército do Líbano avisou as autoridades da Síria que responderá aos ataques das forças de segurança sírias, se as ações forem mantidas na região de Aarsal. O aviso foi dado logo após um helicóptero sírio disparar duas bombas sobre o centro de Aarsal, onde vivem simpatizantes da oposição ao presidente Bashar Al Assad. Uma pessoa ficou ferida.

Os militares libaneses, em comunicado, disseram ter tomado medidas “defensivas necessárias” para responder às violações. De acordo com especialistas, o alerta é um ato raro na história recente entre o Líbano e a Síria – países fronteiriços e com vários aspectos comuns, como o idioma árabe, a religião muçulmana e que se tratam como povos irmãos.

O presidente do Líbano, Michel Sleimane, disse que o ato, oriundo do território sírio, representa uma violação da soberania. Ele informou que recorrerá às Nações Unidas e à Liga Árabe, se necessário.

Os Estados Unidos, por sua vez, condenaram o ataque, que consideraram uma provocação inaceitável.

A crise na Síria dura 26 meses e matou mais de 90 mil pessoas. Os confrontos começaram devido à reação de oposicionistas ao governo de Assad. A oposição exige a renúncia do presidente, que está há mais de uma década no poder, a abertura política e o combate às violações de direitos humanos.