Maduro quer vetar participação da Colômbia na Otan

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que pedirá uma reunião de emergência do Conselho de Defesa da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) para discutir a intenção da Colômbia de fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Maduro disse que o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, está dando “um sinal negativo para a região”. “Lamentamos muito que o governo da Colômbia tenha feito isso”, declarou em uma participação na TV pública venezuelana.

Segundo ele, Evo Morales, presidente da Bolívia, está de acordo coma proposta de convocar uma reunião da Unasul para uma avaliação da ameaça que significaria uma eventual participação colombiana na Otan, “para a paz e estabilidade na região”.

No último sábado (1º), Santos anunciou que este mês será firmado um acordo de cooperação com a a organização, ainda que não tenha sido acatado nenhum pedido do governo colombiano para que o país faça parte da Otan com membro-permanente.

Maduro qualifica como “ameaça” e uma “ideia verdadeiramente aberrante” a solicitação da Colômbia. “O governo colombiano tem que refletir sobre isso”, declarou.

Este é o segundo episódio polêmico envolvendo os governos da Colômbia e da Venezuela nos últimos dez dias. Na semana passada, Maduro disse que perdera a confiança no governo de Juan Manuel Santos, porque o presidente colombiano recebeu o líder oposicionista na Venezuela, o governador Henrique Capriles.

Segundo o venezuelano, a Colômbia estaria participando de planos de desestabilização da Venezuela. Na última sexta-feira (31), Santos declarou que havia sido um mal-entendido e que jamais faria parte de algum plano com este fim.