Reino Unido acusa Argentina de posição "insustentável" sobre Malvinas

País latino teria desconsiderado voto de habitantes pró manutenção da colônia inglesa

LONDRES - O governo do Reino Unido acusou a Argentina de manter uma posição "insustentável" em relação ao conflito sobre a soberania das ilhas Malvinas ao rechaçar o "esmagador" voto dos habitantes do arquipélago que escolheram recentemente continuar como colônia britânica. 

"A posição do governo do Reino Unido continuará sendo de que não pode [existir] nem haverá discussão alguma sobre a soberania das ilhas Malvinas pelo menos e até que os seus habitantes assim o desejem", afirmou o embaixador britânico diante da Organização das Nações Unidas (ONU), Lyall Grant. 

Segundo ele, "é decepcionante que o senhor [chanceler da Argentina, Héctor] Timerman e seus colegas tenham passado tão pouco tempo falando dos habitantes da ilha e de seus desejos" durante uma reunião na ONU. 

Na última terça-feira, uma delegação formada por países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), do Mercado Comum do Sul (Mercosul) e da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC) foi recebida pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ocasião em que reiteraram seu pedido para que Londres aceite negociar com Buenos Aires sobre a soberania do arquipélago. 

Além de Timerman, a comissão contou com a presença do chanceler do Uruguai e presidente pro tempore do Mercosul, Luís Almagro, do chanceler de Cuba e presidente pro tempore da Celac, Bruno Rodríguez Parrilla, e do vice-chanceler do Peru e presidente pro tempore da Unasul, José Beraún Aranibar. (ANSA)