Cardeal escocês que renunciou admite "conduta sexual imprópria"

Seis dias após ter renunciado ao cargo por conta de denúncias, o ex-chefe da Igreja Católica da Escócia, cardeal Keith O'Brien, admitiu neste domingo (3), em comunicado, que teve "conduta sexual imprópria".

"Por vezes, minha conduta sexual caiu para patamares inferiores aos que se esperavam de mim como sacerdote, arcebispo e cardeal", disse O'Brien em comunicado divulgado pela Igreja Católica da Escócia.

O'Brien, que foi acusado de "atos impróprios" cometidos há 33 anos, havia pedido demissão como arcebispo de St. Andrews e Edimburgo.

Segundo a Rádio Vaticano, o papa teria aceitado a renúncia do arcebispo de Edimburgo, com base no artigo 401 do Direito Canônico, ou seja, por motivos de idade. Como o cardeal completará 75 anos no dia 17 de março, Bento XVI teria usado este fato para aceitar a sua renúncia sem entrar em detalhes sobre as acusações contra ele.