Rede terrorista Al-Qaeda divulga lista de "mais procurados"

A Al-Qaeda divulgou nesta sexta-feira sua lista de "mais procurados" por "crimes contra o Islã". Os nomes estão na décima edição da revista da rede terrorista Inspire, lançada hoje, e estampam um cartaz ao estilo do velho oeste americano. Entre "criminosos" estão o escritor Salman Rushdie, o político holandês de extrema-direita Geert Wilders e cartunistas autores de charges de Maomé.

Nele lê-se "Yes we can" (Sim, nos podemos), em uma referência ao slogan do presidente Barack Obama em sua primeira campanha presidencial, seguido de "a bullet a day keeps the infidel away" (uma bala por dia mantém os infiéis longe). Acima da inscrição há a foto do pastor americano Terry Jones, que ficou conhecido no mundo inteiro por planejar a queima do Alcorão, o livro sagrado do islamismo, sendo atingido por um tiro na cabeça.

Além da lista, a revista faz as habituais críticas aos Estados Unidos, uma nação "sem princípios" em função do aumento do apoio ao casamento gay. Segundo o site de notícias BNO, o editori da Inspire classificou o congressita Barney Franks, que é gay, como o "símbolo do sonho americano".

Confira a lista dos mais procurados.

Carsten Juste

 Dinamarquês, ex-editor do Jyllands-Posten, jornal que publicou charges de Maomé. Na época da publicação, a sede do jornal precisou ser evacuada devido a uma ameaça de bomba.

Terry Jones

 Pastor americano, ficou famoso no mundo inteiro por promover, em 2010, pouco antes do aniversário do 11/9, o "Dia de Queimar um Alcorão". A iniciativa foi cancelada pouco antes da data.

Kurt Westergaard

 Cartunista dinamarquês, publicou em 2005 um cartum em que o profeta Maomé aparece com uma bomba em seu turbante. Desde então, recebe ameaças de morte e vive sob constante proteção. Recentemente publicou sua autobiografia The Man Behind the Line (O Homem atrás da Linha, em tradição livre.

Geert Wilders

 Político holandês de extrema-direita. Suas opiniões a respeito da imigração e do islamismo na Europa o tornaram uma figura controversa. Já enfrentou a Justiça algumas vezes em função de seus comentários islamofóbicos no Parlamento holandês.

Lars Vilks

 Cartunista sueco. Publicou cartuns do profeta Maomé em um corpo de cachorro. Em 2010 teve a casa onde mora na cidade sueca de Nyhamnslage incendiada. Uma semana depois foi agredido durante uma palestra em uma universidade e seu site hackeado.

Stéphane Charbonnier

 Francês, editor da revista satírica Charlie Hebdo que, em 2012, estampou charges em que o profeta Maomé aparece nu. Na capa da polêmica edição, Maomé aparece em uma cadeira de rodas sendo empurarrado por um judeu ortodoxo.

Flemming Rose

 Editor dinamarquês envolvido na polêmica do Jyllands-Posten. Em 2010 lançou o livro Tyranny of Silence (Tirania do Silêncio, em tradução livre) no qual fala sobre os polêmicos cartuns publicados no jornal dinamarquês.

Salman Rushdie

 Escritor britânico, autor de Versos Satâncos, Rushdie é, há anos, alvo da ira de grupos muçulmanos. Na época do lançamento da obra (1988), o aiatolá Khomeini, líder supremo do Irã, determinou que o autor fosse executado.

Morris Swadiq

 Não há informações sobre quem é.