Papa Bento XVI inicia despedida do Pontificado no Vaticano

Nesta quarta-feira, o Papa Bento XVI vem a público no Vaticano para indicar seu ciclo final de despedida em frente ao Ministério de São Pedro. Na Praça São Pedro, onde se esperam 100 mil pessoas, ele realizará a última das suas tradicionais audiências das quartas-feiras antes de oficializar, amanhã, sua renúncia ao mais alto cargo da Igreja Católica.

Os olhos voltaram-se com atenção e curiosidade para o Vaticano desde que, no último dia 11, Bento XVI surpreendeu ao anunciar sua renúncia por incapacidade física. Somente o quarto Papa em toda a história católica a abdicar do posto, a ação de Joseph Ratzinger atiçou especulações sobre uma suposta crise político-espiritual no Vaticano.

Pouco ou nada das teorias, todavia, foi confirmado, de modo que a comunidade católica chega a esta histórica quarta-feira focada no adeus ao Papa e à crescente ânsia pelo novo nome que liderará umas das maiores religiões monoteístas do planeta.

Hoje, o Papa pronunciará a habitual catequese e realizará o tradicional percurso entre o público no papamóvel. Além da despedida, a única novidade é que não haverá o beija-mão final (o reduzido grupo de cardeais, bispos e personalidades aos quais costuma saudar todas as quartas-feiras), já que todo mundo teria vontade de se despedir, e assim se evitam preferências.

Devem participar da audiência algumas personalidades políticas como o presidente da Eslováquia, Ivan Gasparovic; os capitães regentes de San Marino e o copríncipe de Andorra, Joan Enric Vives. Essas personalidades serão cumprimentadas depois, em particular, na sala Clementina do Palácio Apostólico.

A cerimônia da renúncia segue nesta quinta-feira, quando Bento XVI deixará o Palácio Pontifício do Vaticano às 16h55 de Roma (12h55 de Brasília) do dia 28. Acompanhado do Secretário de Estado, o cardeal Bertone, ele irá ao heliporto do Vaticano, de onde viajará de helicóptero até Castelgandolfo, 30 km ao sul de Roma.

No heliporto da Vila Pontifícia, Bento XVI será recebido pelas autoridades civis e religiosas locais e, por volta das 17h30 locais (13h30 de Brasília), irá ao pórtico da residência de verão dos pontífices para saudar os fiéis daquela diocese.

Este será o último ato público do Papa, e o único sinal visível que anunciará que Bento XVI já não é mais papa será dado às 20h locais, quando a Guarda Suíça que presta guarda na porta do palácio de Castelgandolfo concluirá seu serviço e deixará o local. A partir desse momento, a Guarda Suíça deixará de prestar serviço a Ratzinger (que adotará o título “Papa emérito”), cuja segurança continuará garantida pela Gendarmaria Vaticana.

Findo o processo da renúncia, começa o da sucessão. No dia 1º de março, já em plena Sé Vacante - o período entre o falecimento ou renúncia de um papa até que seja eleito o sucessor -, o decano do Colégio Cardinalício, o cardeal Angelo Sodano, convocará os cardeais às reuniões preparatórias do Conclave, cuja data será decidida nos próximos dias. Visto que o dia 1º é sexta-feira, o mais provável é que a primeira congregação de cardeais aconteça no dia 4, na semana seguinte.