Conflitos levam 12 mil sírios a se refugiar na Jordânia em menos de uma semana

Mais de 12 mil sírios, a maioria formada por mulheres e crianças, refugiaram-se na Jordânia durante os últimos seis dias por causa dos conflitos na Síria. Segundo o porta-voz do governo da Jordânia para a questão dos refugiados sírios, Anmar al-Hammoud, desde o início do ano, cerca de 250 mil sírios entraram no país. Autoridades estimam que o número total de refugiados sírios no país chegue a 300 mil.

Oficialmente, o Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) tem registros de 176 mil refugiados sírios. O organismo acredita que o número pode chegar a 1,1 milhão até junho, caso a guerra civil continue.

A crise da Síria, que dura quase dois anos, foi tema de uma reunião ontem (21) entre o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, e o emissário especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Lakhdar Brahimi. No próximo dia 29, o assunto também deverá ser discutido em uma reunião no Conselho de Segurança da ONU.

Há duas semanas, o presidente da Síria, Bashar Al Assad, apresentou como solução para a crise a elaboração de uma nova Constituição, a promoção de eleições legislativas e a consolidação de um novo governo, mas rejeitou negociar com a oposição.

A proposta de Assad foi recusada pela ONU que considerou que ela não contribui para uma solução para o fim dos conflitos na região, que começaram em março de 2011 e, segundo organizações não governamentais, provocaram mais de 60 mil mortos.