Sentença do caso Ruby deve sair após eleições parlamentares italianas

Os juízes do Tribunal de Milão, que estão julgando o caso em que o ex-premier Silvio Berlusconi é acusado de prostituição de menores e concussão (abuso de poder), afirmaram hoje que a sentença será definida após as eleições, que ocorrem nos dias 24 e 25 de fevereiro. A última audiência está prevista para o dia 11 de março.    

Após o pedido da defesa de Berlusconi de suspensão do processo durante as campanhas eleitorais, o Colégio da IV Secção Criminal informou que um dos três juízes responsáveis pelo caso, Carmen D'Elia, será deslocada para outra seção do tribunal, por isso as próximas audiências tiveram que ser remarcadas.    

Os juízes explicaram que não poderiam utilizar as datas de 18 e 25 de fevereiro, por que estas estão reservadas para processos com réus detidos. As duas próximas audiências já estão marcadas para 28 de janeiro e 4 de fevereiro. Na primeira será ouvida a mãe da marroquina, Karima El-Mahroug, conhecida como Ruby e pivô do caso.    

Na audiência de 4 de fevereiro os juízes marcaram para um "momento de reflexão" para a promotoria, o que deixaria o caso para ser julgado apenas após as eleições. A promotora Ilda Boccassini respondeu que a promotoria não precisa desta pausa e deixou o assunto para avaliações dos juízes.    

A defesa do ex-premier reiterou hoje o pedido de suspensão do julgamento, alegando que, caso contrário, será "impossível realizar a campanha eleitoral não só para o ex-primeiro-ministro, mas também para os candidatos ao Senado".