Pintura rejeitada da rainha Elizabeth é revelada depois de 61 anos

Um retrato da rainha Elizabeth II escondido dos olhos do público há 61 anos foi revelado na sexta-feira no Reino Unido. A pintura do artista John Napper foi encomendada em 1953 para marcar sua ascensão ao trono britânico, porém o conselho responsável por aprovar as obras de arte do trono recusou o retrato por considerá-lo pouco semelhante à figura real da rainha - a principal crítica era quanto ao pescoço dela na imagem, considerado "muito longo".

A divulgação da pintura mantida em segredo durante seis décadas ocorre uma semana depois da apresentação do primeiro retrato oficial de Kate Middleton, a mulher do príncipe William e duquesa de Cambridge - obra que também foi recebida com desaprovação por representar uma Kate "mais velha" que a verdadeira. No caso de Elizabeth, o artista teria cedido às críticas e afirmado que "essa é uma bela pintura de uma rainha, mas não desta rainha". Ele morreu em 2001, aos 84 anos.

A pintura está agora sendo exibida no terceiro andar do Museu Nacional de Liverpool, ao lado de sala de júri onde cidadãos comparecem com frequência. Porém, uma campanha está sendo promovida para tentar levar o retrato rejeitado da rainha Elizabeth II à St George's Hall. A obra controversa foi recuperada por ocasião do Jubileu de Diamante da rainha.