Otan defende intervenção francesa em Mali

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) defendeu hoje a intervenção militar da França em Mali e manifestou que não recebeu pedido de assistência por parte do país africano.    "Não foi feito um pedido e nem se conversou (na Otan) sobre a situação de Mali, a Organização, como tal, não está envolvida nesta crise", disse a porta-voz da entidade, Oana Lungescu.    A porta-voz se mostrou preocupada com as ameaças dos grupos armados islâmicos que atuam no país e "apoiam" uma intervenção francesa.    

O vice-chanceler russo, Gennady Gatilov, disse que as operações francesas estão de acordo com o direito internacional e disse que a intervenção "não pode levantar objeções, porque foi um pedido de Mali".  

"Os franceses respeitaram todas as medidas e avisaram antes os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas e seu secretário-geral", informou o vice-chanceler.    

A França enviou algumas tropas para o país africano neste sábado para conter um avanço de rebeldes islamitas no norte do país.