Maduro e Cabello retornam à Venezuela após visita a Chávez

Duas das principais lideranças políticas do atual governo da Venezuela retornaram a Caracas depois de visitar o presidente Hugo Chávez em Havana, a capital cubana, onde o mandatário bolivariano segue seu tratamento contra o câncer.

De volta à Venezuela, o vice-presidente, Nicolás Maduro, e o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, visitaram uma fábrica de café. Na visita, transmitida pela emissora estatal Telesur, eles conversaram com trabalhadores e, em um discurso no interior da linha de produção da instalação, reafirmaram a crença na recuperação do presidente.

"Mais cedo que tarde, Chávez chegará", resumiu Maduro, sem dar detalhes sobre a situação do líder bolivariano. Cabello, a quem caberia a presidência interina do país no caso da impossibilidade de Chávez reassumir o poder no dia 10 de janeiro, criticou a postura da oposição, que teria, segundo ele, interesses "próprios" e não voltados ao bem do "povo". "Não se enganem com o povo e não se enganem com a revolução, pois lhes custará muito caro", alertou, em referência aos oposicionistas.

Chávez se encontra em Havana desde o dia 11 de dezembro, quando foi transferido para a ilha comunista para se submeter à quarta cirurgia em sua batalha contra o câncer, anunciado em meados de 2011. Desde o início de sua nova estada em Havana, Chávez vem recebendo a visita da cúpula política chavista, que acompanha sua situação de perto. Publicamente, no entanto, o governo de Caracas resume-se a dizer que a situação do presidente é "delicada", ainda que "estável".

"Aqui há uma só transição e começou há pelo menos seis anos decretada pelo presidente Hugo Chávez como comandante da revolução bolivariana", frisou Maduro, contrariando a possibilidade de uma eventual transição política no país.