Kirchner envia carta a Cameron pedindo retomada de diálogo sobre Malvinas

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, convidou o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, para retomar as discussões sobre o controle das Ilhas Malvinas. As ilhas atualmente estão sob domínio britânico, mas os argentinos reivindicam o direito de controle sobre a região. A disputa entre os dois países envolvendo as Ilhas Malvinas tem quase dois séculos. Em carta enviada a Cameron e ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, Kirchner cobra o diálogo.

A carta foi publicada em vários jornais britânicos e reproduzida na agência pública de notícias da Argentina, a Telam. "Há 180 anos, em um exercício aparente de colonialismo do século 19, a Argentina foi alvo de armas que levaram à retirada das Ilhas Malvinas, situada a 14 mil quilômetros de Londres [capital do Reino Unido]”, diz o texto.

Em seguida, a carta acrescenta que "os argentinos foram expulsos das ilhas pela Marinha Real Britânica e mais tarde, o Reino Unido iniciou um processo de implantação de população semelhante ao usado em outros territórios sob o domínio colonial".

O texto diz ainda que o Reino Unido, chamado de “potência colonial”, tem se recusado a devolver esses territórios à Argentina, privando-a de “reconstituir sua integridade territorial”. "[As Ilhas] Malvinas também são uma causa da América Latina e da grande maioria dos povos e governos do mundo que rejeitam o colonialismo".

Nas reuniões do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), a questão referente ao controle das Ilhas Malvinas é assunto constante. O Brasil e a maioria dos países latino-americanos apoiam a Argentina na reivindicação pelo controle das ilhas.