Presidente do Egito revoga decreto que ampliava seus poderes

O presidente do Egito, Mohamed Mursi, revogou neste sábado (8) o decreto que ampliava seus poderes e blindava suas decisões e do Parlamento da esfera jurídica, segundo informou o jornal al-Ahram. No Cairo, capital do país, confrontos entre opositores e simpatizantes acontecem há dias. 

Em discurso na televisão, Mohamed Salim El Awa, membro do Diálogo Nacional do Egito, leu declaração do conselho presidencial que anuncia a revogação. Segundo agências internacionais, o referendo sobre a nova constituição egípcia continuará na data prevista, 15 de dezembro. 

Também neste sábado o Exército do país africano pediu que as forças políticas resolvam suas diferenças pelo diálogo e afirmou que não deixará o país ser arrastado para um "túnrl escuro". Segundo o al-Ahram, Mursi emitirá decreto nos próximos dias para que o exército atue na manutenção da segurança interna e proteja as instituições do Estado. A data em que a medida entrará em vigor não foi divulgada. 

Segundo o jornal egípcio, as Forças Armadas continuam a patrulhar juntamente com a polícia até o fim das próximas eleições para o Poder Legislativo.