Ondas de um metro atingem Japão após forte tremor

Ondas de até um metro de altura atingiram a região nordeste do Japão após um forte terremoto de magnitude 7,3 próximo à costa nesta sexta-feira. O Japão emitiu um alerta de tsunami após o tremor, registrado às 17h18 no horário local (6h18 de Brasília) no mar. 

A região nordeste é a mesma que foi devastada por um tremor seguido de tsunami em março de 2011. Ainda não há informações sobre vítimas ou danos sérios provocados pelas ondas. A Agência Meteorológica do Japão emitiu o alerta para cinco províncias: Miyagi, Aomori, Iwate, Fukushima e Ibaraki. 

As primeiras ondas, de cerca de 20 centímetros, atingiram algumas cidades da costa nordeste. Segundo a agência, as ondas em Miyagi chegaram a ter um metro de altura. Na TV, há alertas constantes para que a população procure abrigos em lugares altos. Na região costeira, os bombeiros e grupos voluntários também trabalham para retirar as pessoas que vivem próximas ao mar. 

A emissora pública NHK informou que, por enquanto, não há informações sobre danos nas usinas nucleares localizadas na área afetada pelo terremoto. Apesar de estarem desativados, há reatores em Ibaraki, Fukushima e Miyagi. A empresa JR, que administra o trem-bala, interrompeu sua circulação e também as de linhas locais. O tremor também foi sentido em Tóquio, onde as linhas de metrô e trem foram paralisadas por alguns minutos. 

De acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o epicentro do terremoto foi a cerca de 245 quilômetros da cidade costeira de Kamaishi, a uma profundidade de 36 quilômetros. 

Outro terremoto, de magnitude 6,2, foi registrado às 17h31 na mesma região. A agência japonesa informou também que existe a possibilidade de ocorrerem tremores secundários na região. 

Em março de 2011, um terremoto de magnitude 9 provocou um tsunami que deixou mais de 15 mil mortos. Ainda hoje, mais de 3,2 mil pessoas continuam desaparecidos e outras 300 mil vivem em casas provisórias.