Argentina e Uruguai trocarão informações sobre ditaduras

Brasília – Os governos da Argentina e do Uruguai acertaram hoje (6) que trocarão informações sobre o período da ditadura em ambos os países. A ideia é que a partir dessas informações sejam investigadas as violações de direitos humanos ocorridas durante os governos militares. A ditadura na Argentina durou de 1976 a 1983 e no Uruguai, de 1973 a 1985.

Os ministros das Relações Exteriores da Argentina, Héctor Timerman, e do Uruguai, Luis Almagro, assinaram memorando de entendimento que possibilita a troca de informações e de documentos.

“A assinatura desse documento reafirma a tradicional predisposição de nosso país de cooperar com o esclarecimento de violações aos direitos humanos relativos aos cidadãos uruguaios, tendo em conta a história compartilhada por ambos países”, diz o texto, divulgado pelo governo argentino. 

De acordo com os governos do Uruguai e da Argentina, a intenção é que, por meio da revelação de informações sobre os períodos militares, seja construído um futuro baseado “na memória, na verdade e na busca pela justiça”.

Um dos períodos mais tensos foi durante a Operação Condor, conhecida no Brasil como Operação Carcará, que envolveu Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai. Iniciada na década de 60, a ação tinha como objetivo reprimir os opositores a essas ditaduras.