ONU suspende parte das ações na Síria e retira funcionários 

A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu as operações na Síria e determinou a retirada dos funcionários que não exercem funções essenciais no país, por razões de segurança.

O coordenador para a ajuda humanitária na Síria, Radhouane Nouicer, disse que 25 dos 100 funcionários que trabalham em várias agências da ONU deverão deixar o país até o fim de semana.

Nouicer disse que a ordem foi determinada pelo fato de "as condições de segurança terem se tornado extremamente difíceis, mesmo em Damasco". "A ONU vai suspender as missões no país até nova ordem", disse o porta-voz da ONU em Nova York, Martin Nesirky.

Há 21 meses, as forças de segurança do governo enfrentam a oposição. Até novembro, a estimativa era que mais de 33 mil pessoas tenham sido mortas, inclusive crianças e mulheres. Nos últimos dias, a tensão aumentou com a suspeita da possibilidade de uso de armas químicas pelas forças do governo.