Em 1º discurso, Peña Nieto promete futuro de paz no México

O novo presidente do México, Enrique Peña Nieto, anunciou neste sábado que criará um Programa Nacional de Prevenção do Delito para fazer frente à violência vivida nos últimos anos no país. Em seu primeiro discurso oficial como presidente, Peña Nieto afirmou que o primeiro objetivo de seu governo será conseguir um país em paz e que, para isso, coordenará todas as ordens do governo para combater a impunidade e devolver a tranquilidade às ruas.

"O delito não se combate só com a força. Colocaremos o cidadão mexicano no centro das políticas de segurança. Mudemos o paradigma. Não haverá segurança se não houver justiça. No México que vislumbro há justiça e inclusão, que serão as bases de nosso pacto social", disse na sede do Palácio Nacional, no centro da Cidade do México.

O programa anunciado por ele, e que ainda será submetido ao Congresso, incluiria projetos sociais nas áreas mais afetadas pela violência. Peña Nieto anunciou ainda o lançamento de uma marcha nacional de combate à fome, que será liderada pelo Ministério do Desenvolvimento Social nos próximos dois meses. E prometeu aumentar a infraestrutura em estradas, ferrovias e portos para diminuir a desigualdade entre os estados mexicanos, principalmente no Sul do país.

Na lista das primeiras decisões presidenciais anunciadas hoje, Peña Nieto prometeu ainda uma reforma educativa que acabará com as vagas vitalícias de professores. Hoje, os cargos docentes são herdados de pai para filho, medida considerada inadequada por muitos setores da população mexicana. Agora, Peña Nieto afirmou que os professores serão mantidos "por seus próprios méritos".

A posse de Peña Nieto marca a volta do Partido Revolucionário Institucional (PRI) ao poder depois de 12 anos de governo do Partido Ação Nacional (PAN). Antes, o PRI havia comandado o país com mão-de-ferro entre 1929 e 2000. A postura autoritária associada historicamente ao partido, afirma Peña Nieto, ficará no passado. Ele promete um governo conciliador e aberto às demandas da sociedade.

O teste começa já a partir de hoje. A oposição deve dar trabalho a Peña Nieto. Antes da posse, foram registradas muitas manifestações no centro da capital mexicana. Jovens do movimento estudantil "Yo soy 132", contrário a Peña Nieto, e representantes da esquerda simpatizante de Andrés Manuel López Obrador, realizaram protestos na sede da Câmara de Deputados, onde mais cedo Peña Nieto recebeu a faixa presidencial do agora ex-presidente Felipe Calderón. Os manifestantes foram agredidos pela polícia que fazia a segurança no local. Ao menos 20 pessoas teriam ficado feridas.

Solenidade 

No ato realizado na Câmara de Deputados na manhã deste sábado, Peña Nieto recebeu a faixa presidencial de Calderón, jurou respeitar a Constituição e "desempenhar leal e patrioticamente o cargo de presidente da República conferido pelo povo". "E se assim não fizer, que a nação me demande", afirmou, ao lado do ex-presidente.

Na madrugada de hoje, já havia sido realizado um ato solene de transferência de poderes. À meia-noite, Calderón entregou a bandeira do México ao sucessor. Com o pronunciamento no Palácio Nacional, Peña Nieto inicia oficialmente seu governo. Eleito com 38% dos votos em julho, contra 31% do esquerdista Andrés Manuel López Obrador, o representante do PRI governará até 2018. "Esse é o momento do México", afirmou na sede do Palácio Nacional.