Primeiro-ministro do Japão dissolve Câmara e convoca eleições gerais

Brasília – O primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, dissolveu hoje (16) a Câmara dos Representantes (o equivalente à Câmara dos Deputados). Com a decisão, é aberto o caminho para as eleições gerais, a primeira nos últimos três anos. As eleições ocorrem dentro de um mês, em 16 de dezembro. O Parlamento no Japão é formado pela Câmara dos Representantes, com 480 parlamentares, e a Câmara dos Conselheiros (o equivalente ao Senado), com 242 assentos.

No começo desta semana, durante reunião com o secretário-geral do Partido Democrático (PD), Azuma Koshiishi, Noda indicou que pretendia dissolver a Câmara Baixa. Atualmente com maioria no Parlamento, a aliança de centro-esquerda que apoia o primeiro-ministro está ameaçada de ser reduzida nas próximas eleições legislativas.

Também há riscos à permanência de Noda como primeiro-ministro, cargo que assumiu há 14 meses. Caso Noda deixe o poder será o sexto primeiro-ministro a sair do governo em menos de um ano de mandato.

Pesquisa de opinião, divulgada no jornal Asahi Shimbun, mostra que o índice de aprovação de Noda caiu para 18%, enquanto o de desaprovação subiu para 64%. O Japão ainda enfrenta dificuldades econômicas em decorrência dos impactos causados pelo terremoto seguido por tsunami e pelos acidentes nucleares.