Itália tem dia de greve geral dos servidores públicos

Mais de 30 mil pessoas participaram hoje das manifestações nacionais na Itália em decorrência da greve geral dos servidores públicos, convocada pelas centrais sindicais do país, contra as medidas de austeridade adotadas pelo governo do primeiro-ministro Mario Monti.  

Susanna Camusso, líder da central sindical Cgil, disse que a manifestação dos servidores públicos "em toda a Itália tem um objetivo, o de mudar a lei sobre a spending review [gastos públicos] e por isso não pretendemos nem parar e nem se entregar. Continuaremos a nossa iniciativa porque estamos defendendo este país".   

As categorias que aderiram à greve são dos médicos, funcionários públicos, das instituições estatais, das universidades e pesquisas e dos conservatórios.    

Vários locais turísticos de Roma, como o Coliseu, o Fórum Romano e o Palatino, ficaram fechados em consequência da greve.