Polícia australiana prende suspeitos por mutilação genital de crianças 

Quatro pessoas foram presas no Estado de Nova Gales do Sul, na Austrália, desde a última sexta-feira, sob a acusação de envolvimento na mutilação genital de duas meninas, com seis e sete anos de idade. As informações são do jornal Sydney Morning Herald. As duas mutilações teriam ocorrido nos últimos 18 meses, uma em Sydney e outra em uma área metropolitana não especificada.

A prática, cuja incidência é maior em países do norte da África e no Oriente Médio, é ilegal na Austrália e é condenada pela ONU, que a considera um crime de tortura e abuso sexual. Usualmente, o clítóris da mulher é amputado para impossibilitar o prazer sexual.

Duas prisões foram realizadas nesta quinta-feira: um homem de 56 anos, de origem islâmica, foi flagrado com porte de acessórios para a mutilação, e uma mulher, de 68 anos, foi detida acusada de ter realizado o procedimento.

Na última sexta-feira, um homem de 42 anos e uma mulher de 35 foram presos pelo mesmo motivo. Investigadores acreditam que os suspeitos possam informar a respeito de outros locais onde a mutilação é realizada no Estado.