Argentina propõe maior integração nas áreas de segurança e Justiça no Mercosul 

O ministro da Justiça da Argentina, Julio Alak, vai propor hoje (13) aos demais integrantes do Mercosul – Brasil, Uruguai e Venezuela – aprofundar as parcerias para troca de informações e acesso à área, principalmente em questões relacionadas à segurança. A proposta vai ser apresentada durante reunião, em La Paz, na Bolívia.

De acordo com o Ministério da Justiça da Argentina, a reunião foi organizada para discutir e analisar as ferramentas que melhorem a administração na região no tocante à Justiça. Há várias parcerias para combate ao tráfico de drogas e armas, além de segurança nas fronteiras.

"Entendemos que o acesso à Justiça hoje é o direito que permitirá a realização progressiva da utopia das sociedade na formação de uma Grande Pátria tão sonhada pelos líderes da independência da América Latina", disse Alak, referindo-se à integração defendida por Símon Bolívar, líder da independência das ex-colônias espanholas na América Latina.

Em comunicado, o ministro acrescenta que o Mercosul é “o ideal para construir uma sociedade sem desigualdades que ofendam a dignidade humana e assegure o exercício efetivo dos direitos para os setores populares negligenciados, discriminados e excluídos”.