Após 23 anos, jornal se retrata por culpar torcida em tragédia 

O ex-editor responsável pela capa do jornal britânico The Sun em abril de 1989, Kelvin MacKenzie, emitiu nesta quarta-feira um comunicado se desculpando pela manchete em que responsabilizou os torcedores do Liverpool pela tragédia de Hillsborough, 23 anos atrás. O diário também estampará nesta quinta uma primeira página cheia de retratações, uma vez que um relatório apontou que policiais adulteraram depoimentos para se eximirem de culpa na catástrofe que resultou na morte de 96 pessoas.

Na época, em uma partida válida pela semifinal da Copa da Inglaterra entre Liverpool e Nottingham Forest, uma grande confusão resultou na morte de 94 pessoas, asfixiadas ou esmagadas contra as arquibancadas do estádio do Sheffield Wednesday - dias depois, mais dois indivíduos não resistiram aos ferimentos e também morreram. Durante todos esses anos, acreditou-se na versão dos relatórios policiais, que jogavam toda a responsabilidade nos torcedores por terem iniciado o tumulto.

"Eu fui totalmente enganado", admitiu MacKenzie em seu comunicado. "Há 23 anos eu havia recebido um documento de uma respeitável agência de notícias na qual um policial fazia acusações contundentes contra os fãs no estádio. Eu não tinha por que acreditar que tal autoridade mentiria sobre um desastre como aquele", explicou-se.

Nesta quarta, contudo, um relatório apontou que a tragédia ocorreu, sobretudo, por conta de negligência de autoridades e de más condições de segurança dos estádios. Além disso, ficou claro que houve um trabalho por parte dos investigadores da época em tornarem culpados os torcedores do Liverpool - inclusive com a alteração de 164 depoimentos policiais. Até o premiê David Cameron se pronunciou pedindo desculpas aos familiares das vítimas.

"Foram necessárias mais de duas décadas, inúmeros documentos e um inquérito de dois anos para eu descobrir, para meu horror, que eu deveria ter escrito a manchete 'As mentiras', em vez de 'A verdade'. Mas publiquei aquilo de boa fé e peço desculpas por ter errado¿, apontou MacKenzie. Ele fora o responsável pelo título "The Truth", na qual contava a versão policial da tragédia.

As desculpas de MacKenzie, porém, não foram aceitas por Trevor Hicks, membro do Grupo de Apoio às Famílias de Hillsborough: "muito pequeno, muito tarde", criticou, chamando o jornalista de "escória - escória inteligente, mas ainda escória".