Obama colhe frutos de convenção; Romney minimiza pesquisas 

Washington - A convenção do Partido Democrata nos Estados Unidos, que confirmou o presidente Barack Obama como candidato à reeleição, teve mais efeito sobre os eleitores do que a convenção republicana, que apontou Mitt Romney como rival na disputa. Pesquisas dizem que Obama tem uma vantagem de 5%, mas a campanha de Romney minimiza os números. O especialista em pesquisas da equipe do republicano, Neil Newhouse, divulgou um comunicado nesta segunda-feira afirmando que esses estudos não devem ser levados tão a sério. "A realidade da economia de Obama vai significar o fim do governo Obama, e Mitt Romney vencerá a eleição", disse Newhouse.

O especialista da campanha de Romney também disse que, no discurso durante a convenção democrata feito na quinta-feira passada, em Charlotte, na Carolina do Norte, o presidente americano não ofereceu soluções para a economia ainda não plenamente recuperada da crise de 2008. No dia seguinte ao pronunciamento de Obama, foi divulgado o índice de desemprego, ainda alto (8,1%), de acordo com os dados de agosto.

"O presidente Obama é o único presidente da história americana moderna a se apresentar perante os americanos e pedir reeleição com tantos batalhando para conseguir trabalho", afirmou o especialista. Atualmente, estima-se que 23 milhões de pessoas estejam à procura de emprego e 47 milhões de americanos estejam usando vales-refeições subsidiados pelo governo.

De acordo com uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira pelo Rasmussen Reports, Obama conta com 50% dos votos em âmbito nacional, ao passo que Mitt Romney fica com 45% do eleitorado. Os 5% remanescentes são compostos por 2% de eleitores que preferem um candidato alternativo e 3% de indecisos.

Essa foi a maior vantagem já apresentada por Obama sobre Romney desde março deste ano. Até agora, todas as pesquisas indicavam um empate técnico entre os dois candidatos. Isso levanta a possibilidade de que os sólidos discursos realizados durante a convenção do Partido Democrata, e particularmente os pronunciamentos de Michelle Obama e Bill Clinton, tenham realmente ajudado a impulsionar as intenções de votos em favor do presidente americano.

Segundo a Gallup, a convenção democrata teve um maior impacto sobre os eleitores do que a convenção republicana, realizada na semana retrasada, em Tampa, na Flórida. Entre os participantes da pesquisa da Gallup que assistiram ao evento democrata, 43% deles disseram que a convenção fez com que eles prefiram votar em Obama. Quando a Gallup fez a mesma pergunta aos americanos que assistiram à convenção republicana, 40% deles disseram que o evento fez com que eles provavelmente votassem em Romney em 6 de novembro.