Farc e governo colombiano reiteram acordo de paz 

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, reiterou a sua disposição para dar início ao processo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Santos disse ontem (8) querer que a transição seja "estável e duradoura".

O porta-voz das Farc disse que as negociações não serão interrompidas por divergências iniciais como o cessar-fogo. Enquanto os rebeldes querem decretá-lo em outubro, o governo prefere adiá-lo para o fim das negociações.

"Temos de continuar [negociando] e eu disse às Farc que só no dia em que interromperem o conflito, cessarmos definitivamente, por nossa parte, as operações militares", disse Santos.

Dada a possibilidade de que essa divisão de opiniões possa interromper os esforços de paz, o líder guerrilheiro Marco Leon Calarcá acalmou os ânimos com a transmissão de uma mensagem tranquilizadora.

A iniciativa de paz tem o apoio de 78% dos colombianos, aponta uma pesquisa feita pela organização Centro Nacional de Consultoría (CNC), que também constatou uma retomada dos índices de aprovação de Santos pela população do país.