Embaixadora brasileira diz que governo e oposição sírias devem parar violência 

O Brasil afirmou lamentar "profundamente" a continuidade do conflito armado na Síria. A embaixadora brasileira discursou, nesta quarta-feira, na Assembleia Geral durante uma reunião especial sobre a violência no país árabe.

Falando em inglês, a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeiro Viotti, disse que o país está "horrorizado" com a notícia, dos últimos dias, de mais um assassinato em massa na cidade de Daraia, onde mais de 200 pessoas podem ter morrido.

Ribeiro Viotti disse que o governo Sírio tem a responsabilidade primária de acabar com a violência e de criar as condições para um processo político. Mas, em troca, a oposição precisa responder inteiramente a este passo.

Um outro ponto do discurso foi a preocupação do Brasil com declarações públicas de que a Síria poderia usar armas químicas no conflito. A embaixadora brasileira falou das consequências da crise síria sobre o Líbano, e pediu que a comunidade internacional apoie os libaneses neste momento.

De acordo com Maria Luiza Ribeiro Viotti, os países vizinhos da Síria, que estão abrigando os refugiados, precisam de apoio para lidar com a entrada de mais de 230 mil pessoas em seus territórios.