ONU: mais de 2,5 milhões de pessoas na Síria dependem de ajuda para sobreviver 

Após 18 meses de conflitos, mais de 2,5 milhões de pessoas na Síria dependem de ajuda para sobreviver, pelo menos 4 mil fugiram para o Líbano e a Jordânia, enquanto 310 mil sírios saíram de suas cidades em busca de abrigo em municípios do próprio país.

Os dados estão em um relatório divulgado hoje (3) pelo Escritório da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Coordenação de Assuntos Humanitários (cuja sigla em inglês é Ocha).

"As agências da ONU e os parceiros humanitários relatam um aumento no número de postos de controle militares, bloqueios de estradas e fechamentos de estradas e isso afeta as condições para ajudar as pessoas necessitadas”, diz o relatório.

De acordo com o documento, a onda de violência aumenta a cada dia na Síria, tornando a vida dos civis bastante difícil. "Os civis comuns homens, mulheres e crianças estão sem condições de suportar o impacto da violência", dz o relatório.

Pelos relatos coletados no Ocha, as cidades mais afetadas são Homs, Hama, Idlib e Deraa, além de Damasco e Alepo, as maiores do país. O Programa Alimentar Mundial (PAM) enviou alimentos para cerca de 530 mil pessoas, nas últimas três semanas.

A crise na Síria eclodiu em março de 2011, quando integrantes da oposição iniciaram protestos cobrando do presidente sírio, Bashar Al Assad, sua renúncia e a transição política no país. A oposição exige também um cessar-fogo, o fim da violência e das violações aos direitos humanos.