Após destituição, Fernando Lugo lembra quatro anos de sua posse

O ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo, que foi destituído no dia 22 de junho, recordou o quarto aniversário de sua posse como mandatário e afirmou que continuará lutando pela democratização do país.    

"Pode ser que tenham nos tirado do Palácio [do Governo] mas não nos tirarão do coração das pessoas", disse, repetindo uma frase que já utilizou em outras ocasiões.    Acompanhado de ex-ministros e outros ex-funcionários, Lugo agradeceu as pessoas que colaboraram com ele durante seu governo, em um ato realizado na sede da "Frente Guazú", coalizão de pequenos partidos e movimentos de esquerda.    

Aos jornalistas, ele negou que tenha dito que concorrerá novamente à Presidência, apesar de não ter descartado completamente a hipótese ao afirmar que continuará estudando a possibilidade legal. De acordo com a Constituição Paraguaia, "em nenhum caso" um ex-presidente pode ser reeleito.    

Por sua vez, seu sucessor, Federico Franco, participou hoje de atos pelo 475º aniversário de fundação de Assunção, capital do país. Em um dos locais de comemoração, ele foi repudiado por cerca de 50 manifestantes que gritavam "presidente golpista" e outras palavras de ordem.