Argelino Lakhdar Brahimi deve ser novo emissário da ONU na Síria 

A Organização das Nações Unidas (ONU) e Liga Árabe preparam o anúncio do nome do novo emissário à Síria em substituição a Kofi Annan, que renunciou ao cargo no último dia 2. O escolhido deve ser o argelino Lakhdar Brahimi, de 78 anos, ex-ministro das Relações Exteriores da Argélia e principal negociador do fim da guerra civil no Líbano. Annan renunciou após ver fracassar as negociações para um plano de paz na Síria.

Brahimi terá como principal missão negociar o fim da onda de violência na Síria e um acordo para a transição política na região. Os embates nas ruas se intensificam e o número de refugiados sírios que fogem para os países vizinhos – principalmente a Jordânia, a Turquia e o Líbano – aumenta.

Há 17 meses, a Síria vive sob um clima de confrontos. Integrantes do governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, e da oposição se enfrentam nas principais cidades do país. A oposição exige a renúncia de Assad, o fim das violações aos direitos humanos e mais liberdade no país. Assad reage com repressão, acusando estrangeiros de insuflarem o que chama de terroristas.

Annan tentou nos últimos meses negociar a adoção de um plano de paz na Síria, com seis pontos. A base do plano é o fim da violência, a suspensão do uso de armamentos e a transição política pacífica. Assad e a oposição prometeram atender ao apelo do ex-emissário, mas a promessa não se concretizou.

Paralelamente, o Conselho de Segurança da ONU tenta impor mais sanções à Síria. Mas a China e a Rússia impedem a imposição de restrições aos sírios no momento em que o Irã negocia alternativas para encerrar o impasse na região.