OIT quer maior promoção do trabalho decente para os indígenas 

Muito precisa ser feito para a promoção do trabalho decente e da justiça social em prol dos 370 milhões de indígenas no mundo. O alerta da Organização Internacional do Trabalho, OIT, marca o Dia Internacional dos Povos Indígenas, neste 9 de agosto.

Neste ano, a data defende a autonomia das vozes nativas. A OIT lembra que muitos indígenas, especialmente mulheres e crianças, estão vulneráveis à discriminação e acabam no trabalho forçado.

Segundo a agência, se reconhecidas e valorizadas, as habilidades e sistemas de produção das comunidades indígenas podem beneficiar seu próprio desenvolvimento e economias nacionais.

A OIT destaca não ser tarefa fácil a promoção do trabalho decente, já que os povos nativos vivem em condições muito diferentes, em áreas rurais remotas ou em metrópoles. 

Apenas 22 países, a maioria na América Latina, assinaram a Convenção dos Povos Tribais da OIT, uma ferramenta legal para promover os direitos dessa população.

Pelo documento, os povos indígenas têm direito a todas as liberdades fundamentais, sem impedimentos ou discriminação. A Convenção faz menção específica à admissão ao emprego e a salários decentes.

Segundo a OIT, existem pelo menos 5 mil grupos nativos em 90 países. Estão registradas mais de 4 mil línguas nativas e 50% dos indígenas vivem em cidades.