Pelo menos 20 pessoas morrem na Península do Sinai em ataques do Egito 

Autoridades do Egito confirmaram que helicópteros militares do país dispararam mísseis contra militantes muçulmanos considerados suspeitos, na região de Al Arish, na Península do Sinai, próximo de Israel. Informações preliminares indicam que 20 pessoas morreram. Os ataques ocorreram depois que alguns pontos de segurança foram alvos de atiradores.

Há três dias, 16 guardas de fronteira egípcios morreram na mesma região. Forças israelenses disseram posteriormente que mataram sete homens armados que cruzaram a fronteira com Israel. Autoridades do Egito e israelenses responsabilizaram militantes muçulmanos pelos ataques.

Porém, a Irmandade Muçulmana acusou o Mossad, o instituto de inteligência e informações de Israel, de ser responsável pelos ataques. Mas o governo israelense negou o envolvimento do Mossad.

Em 1979, foi firmado o acordo de paz entre o Egito e Israel, depois de intensa negociação. Com o acordo, o Egito se tornou o primeiro país árabe a reconhecer oficialmente o Estado de Israel.