Irã anuncia reunião de emergência sobre a situação na Síria 

As autoridades do Irã anunciaram para quinta-feira (9), em Teerã,  uma reunião com representantes de dez países para discutir a crise na Síria, que já dura 17 meses e matou mais de 20 mil pessoas.

O vice-ministro das Relações Exteriores do Irã,  Hossein Amir Abdollahian, disse hoje (6) que o objetivo é debater o assunto com quem tem “posições realistas” sobre os conflitos na Síria.  Não há informações sobre quais serão os participantes da reunião.

Os iranianos rejeitam a imposição de sanções à Síria, como defendem os europeus e os norte-americanos. “Será uma reunião consultiva sobre a Síria na presença de um determinado número de países que têm posições realistas [sobre a questão]”, disse Abdollahian.

De acordo com o vice-ministro, é fundamental um cessar-fogo e a abertura do diálogo na Síria. Mas ele não adiantou quais são as medidas que devem ser definidas para pressionar pela execução dessas propostas.

Paralelamente, o governo do Irã negocia com a ajuda da Turquia e do Catar a libertação de 48 peregrinos xiitas. Os religiosos foram capturados ontem (6), nos arredores de Damasco, e ainda estão sob poder dos sequestradores.