Técnicos vão definir cronograma de integração da Venezuela às normas do Mercosul

A dois dias da cerimônia que marca a adesão da Venezuela ao Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, suspenso temporariamente do bloco), os negociadores se preparam para examinar os aspectos técnicos da incorporação dos venezuelanos ao bloco.

O objetivo é definir o cronograma de implementação das medidas, das normas e da nomenclatura. Também estará em discussão o detalhamento sobre a adoção da tarifa comum do Mercosul.

Um grupo de trabalho, com representantes dos quatro países, deverá se debruçar principalmente sobre o Artigo 5º do Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul. É necessário definir os prazos máximos para o livre comércio entre a Venezuela e o bloco.

Anteriormente, o Brasil havia se comprometido a adotar a medida em 1º de janeiro de 2012, mas como a Venezuela não havia sido oficializada, a data será revista. O mesmo ocorre com outros países.

Conforme o Artigo 5º, é preciso também definir um programa de liberalização comercial com os respectivos cronogramas. O grupo de especialistas do Mercosul também vai definir os prazos para que a Venezuela passe a adotar a nomenclatura comum do bloco, que se refere a uma série de códigos referentes aos produtos, e à tarifa comum do Mercosul.