Oposição denuncia massacre de mais de cem civis na Síria

Mais de cem pessoas foram mortas nesta quinta-feira (12) no vilarejo de Tremseh, na província de Hama, na Síria, de acordo com grupos de oposição. As denúncias ainda não puderam ser verificadas por veículos de imprensa ocidentais.

Sobreviventes relataram aos opositores que o vilarejo foi alvo de ataques de helicópteros do Exército e tanques de guerra. Além disso, membros das Shabiha, milícias contratadas pelo presidente Bashar Al Assad, teriam entrado em Tremseh abrindo fogo contra a população.

De acordo com o grupo opositor Comitês Locais de Coordenação, ao menos 189 pessoas morreram no país somente nesta quinta-feira.

Em Hama, o Conselho da Liderança Revolucionária disse à agência de notícias Reuters que a maior parte dos mortos em Tremseh era constituída por civis e que as tropas do governo estariam tentando retomar o local do comando dos rebeldes.

De acordo com as Nações Unidas mais de 10 mil pessoas já morreram no país desde o início dos confrontos entre tropas do regime e os rebeldes, que pedem a renúncia de Assad, há pouco mais de um ano.