Adolescente haitiano abandonado no Brasil ganha cidadania brasileira

O haitiano Virgile, 13 anos, foi incluído no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas e terá cidadania brasileira por determinação da Justiça Federal. O adolescente foi abandonado em 2009 em São Paulo por um bando de coiotes, traficantes internacionais de pessoas, que não conseguiram extorquir dinheiro de sua mãe. O juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Criminal Federal em São Paulo, determinou ainda a mudança de identidade do adolescente. 

O juiz considera que Virgile deve receber uma identidade para poder ir encontrar sua família na Guiana Francesa. Os sequestradores do haitiano estão foragidos. Eles foram identificados pela Polícia Federal e denunciados sob acusação de introduzir clandestinamente estrangeiros no País e abandono de menor As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

O diretor do Departamento Internacional da Advocacia-Geral da União (AGU), Boni de Moraes Soares, afirmou que o caso deve seguir o mesmo olhar que vem sendo dado pelo governo federal no sentido de favorecer a absorção de imigrantes que buscam ficar no Brasil e defendeu que o adolescente deve ser protegido pelo Estado brasileiro. Segundo a Polícia Federal, traficantes de pessoas foram vistos espreitando o abrigo onde Virgile está alojado em São Paulo.