Cólera matou mais de 15 pessoas em Cuba, diz imprensa dos EUA 

ROMA E HAVANA - Ao menos 15 pessoas já morreram em Cuba pela bactéria da cólera, segundo balanço da imprensa norte-americana.

O jornal El Nuevo Herald e o USA Today afirmaram que a doença já deixou "ao menos 15 mortos" na ilha e "milhares de pessoas infectadas".

No início da semana, o jornal oficial cubano Granma informou que três pessoas haviam morrido pela cólera e outras 50 estavam com a doença. Suspeita-se que haja um surto epidêmico no município de Manzanillo.

De acordo com a publicação, o surto, que foi influenciado pelas altas temperaturas e pelas chuvas intensas, "está controlado e sua tendência é a redução de casos, como resultado das medidas higiênico-sanitárias que estão sendo executadas".

A cólera estava erradicada em Cuba desde agosto de 1882, segundo dados históricos médicos. Uma epidemia da doença atinge o Haiti, país vizinho a Cuba, no mar do Caribe, onde equipes, lideradas por médicos cubanos, colaboram para combatê-la.