Protestos e vandalismo marcam primeiras eleições livres na Líbia 

Desde o início da manhã deste sábado, ondas de protestos e atos de vandalismo são registrados na Líbia, que passa pelas primeiras eleições legislativas livres realizadas em 60 anos.

A taxa de participação nas eleições alcançou neste sábado 60%, segundo os resultados preliminares anunciados pela Comissão Eleitoral.  

Um manifestante foi morto em Ajdabiya, no Leste do país. Ele levou um tiro quando tentava roubar uma urna em um posto eleitoral. Os eleitores que protestam alegam que o pleito é uma farsa e reivindicam maior autonomia para a região.

Tiros foram ouvidos em Benghazi, também no Leste da Líbia, onde 200 manifestantes invadiram a praça principal da cidade. Cerca de 100 postos de votação não puderam ser abertos depois que atos de vandalismo causaram destruição.

Líbios vão às urnas neste sábado para eleger 200 legisladores que formarão o Conselho Nacional Geral (CNG), o principal órgão legislativo, que substituirá o Conselho Nacional de Transição (CNT). A principal atribuição do CNG será eleger o primeiro-ministro do país e seu gabinete.