EUA: homem deixa prisão após 32 anos depois de testes de DNA

Testes de DNA ajudaram a derrubar a condenação por estupro e homicídio de uma menina de 3 anos por um homem de Chicago, nos Estados Unidos, depois de 32 anos de prisão. Pouco após o anúncio da retirada das acusações, o Departamento de Correções de Illinois informou que Andre Davis, 50 anos, deixou o presídio de segurança máxima onde esteva encarcerado, segundo a agência AP.

Um tribunal do Estado pediu um novo julgamento em março deste ano. Testes de DNA retirados da cena do crime, cometido em 1980 contra Brianna Stickle, provaram que a amostra não pertencia a Davis.

Segundo o Centro de Condenações Errôneas da Northwestern University, Andre Davis é um dos 42 ex-detentos a ser inocentado depois de evidências de DNA apenas no Estado de Illinois - ele foi, no entanto, o que passou mais tempo encarcerado.