Países sob embargo importaram mais de US$ 2,2 milhões em armas em 12 anos

A organização não governamental (ONG) Oxfam, que atua em 90 países, informou que os governos submetidos a embargo internacional de armas conseguiram importar mais de US$ 2,2  milhões em armamentos nos últimos 12 anos. Apesar dos 26 embargos internacionais em vigor, decretados pela Organização das Nações Unidas (ONU) e entidades regionais,  vários países conseguiram manter suas importações.

No relatório, elaborado pela ONG, são citados os casos de Myanmar, que importou US$ 600 milhões  de armas no período de 2000 a 2010, o Irã, que comprou US$ 574 milhões de 2007 a 2010,  e o Congo, que negociou US$ 124 milhões de 2000 a 2002.

Para a Oxfam, os números revelam a necessidade de elaboração de um tratado que regulamente o comércio de armas convencionais no mundo. Um tratado internacional sobre o tema deverá ser negociado na ONU de 2 a 27 de julho deste ano.

Também é citado pela Oxfam o caso da Síria, país que está em conflito há quase 15 meses. O principal fornecedor de armamentos para os sírios é a Rússia. Em 2010, a Síria importou equipamentos de defesa antiaérea, no valor de US$ 167 milhões,  e armamento ao custo de US$ 1 milhão, mesmo sob embargo internacional.

A Oxfam disse ser favorável à inclusão de critérios juridicos para evitar a transferência de armas, quando há risco de elas serem utilizadas para contrariar as leis internacionais sobre os direitos humanos.