Multinacionais latino-americanas investiram menos no exterior, diz Cepal

Os investimentos no exterior de empresas multinacionais latino-americanas, as chamadas translatinas, caíram cerca de 50% e chegaram ao total de US$ 22,6 bilhões, em 2011 – em 2010, o registro foi US$ 44,9 bilhões.

Segundo o relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), divulgado hoje (3), essa redução foi consequência da forte queda dos fluxos do Brasil para o exterior.

Segundo a Cepal, o Brasil, devido ao seu tamanho, é o país mais determinante para explicar a tendência desses investimentos. Em 2011, o Brasil registrou um saldo negativo de US$ 9,2 bilhões nas correntes de investimento, enquanto, no ano anterior, havia apresentado balanço positivo de US$ 11,5 bilhões.

O relatório da comissão mostra que em 2011 cresceram os empréstimos líquidos de filiais no exterior para as matrizes no Brasil, ao mesmo tempo em que caiu o envio de capital. De acordo com a Cepal, as empresas brasileiras estão priorizando o próprio país.

“Embora as empresas brasileiras não tenham detido sua expansão no exterior e não se registrassem desinvestimentos importantes, pode-se concluir que, no contexto de boas perspectivas no Brasil, estas empresas estão dando mais importância a seus investimentos no mercado interno”, diz o relatório.