União Europeia aprova novas sanções à Síria

A União Europeia aprovou hoje (23) mais uma série de sanções à Síria como forma de pressionar o presidente Bashar Al Assad a executar um plano de paz na região e a estabelecer um cessar-fogo imediato. O conjunto de sanções estabelece a proibição das exportações de produtos de luxo dos europeus para os sírios. A decisão foi tomada pelos representantes dos 27 países que integram o bloco, em Luxemburgo.

A presença de observadores da Organização das Nações Unidas (ONU), encarregados de supervisionar o cessar-fogo, não inibiu os confrontos armados na Síria hoje, segundo relatos de organizações não governamentais. A segunda-feira amanheceu com tiroteios nas principais cidades.

Porém, as Nações Unidas insistem na tentativa de um acordo de paz na região.  O responsável pela equipe da ONU no país, Neeraj Singh, disse que os militares da força de paz das Nações Unidas, denominados capacetes azuis, visitarão hoje as áreas mais conflituosas de Damasco, capital síria.

Ontem (22), os observadores da ONU visitaram Homs e Hama, na região central. Nesse domingo, as forças aliadas do governo mataram três civis em Homs e três nos arredores, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que contabilizou 17 mortos ao longo do dia em todo o país – 12 civis e cinco soldados.

Desde a noite de sábado (21), dois observadores da ONU permanecem na cidade de Homs, chamada “capital da revolução”, a pedido da população, que teme novos ataques. Também no sábado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou uma resolução que autoriza o envio de 300 observadores militares não armados para supervisão do cessar-fogo na Síria.