Polícia faz reconstituição da morte de brasileiro na Austrália 

Com um manequim estendido na calçada e a participação de testemunhas, a polícia do Estado de New South Wales (NSW), na Austrália, fez a reconstituição da morte do estudante brasileiro Roberto Laudisio na madrugada desta quinta-feira. Uma quadra da rua Pitt, no centro de Sydney, foi bloqueada para veículos e pedestres durante a operação, que começou por volta das 2h. A região é basicamente comercial.

Aproximadamente 20 policiais e detetives participaram da reconstituição, que durou cinco horas. Em frente à cafeteria onde Laudisio morreu, os investigadores conversaram com as testemunhas sobre os acontecimentos que resultaram na morte do jovem. Escoltado pela polícia, um rapaz aparentando pouco mais de 20 anos colaborou na simulação do episódio.

Na madrugada de 18 de março, seis policiais perseguiram Laudisio, suspeito de roubar um pacote de biscoitos de uma loja de conveniências. Pelo menos três disparos de armas de choque (tasers) foram feitos, na tentativa de parar o estudante. O jovem, 21 anos, morreu na calçada, por volta das 5h30.

Segundo jornais australianos, os policiais teriam dito que o primeiro disparo pareceu não fazer efeito. Laudisio teria conseguido se libertar da abordagem e continuar correndo. O vídeo da câmera de segurança da cafeteria mostra o jovem fugindo da polícia. Os oficiais envolvidos na ocorrência já estariam de volta ao trabalho.

O Departamento de Homicídios, responsável pela investigação, se recusa a divulgar informações sobre o caso. As causas da morte também estão sendo tratadas como sigilo, mesmo depois de concluídos os exames toxicológicos e a autópsia.