ONU quer investigação sobre assassinato de apresentador de TV no Iraque 

A Unesco, a agência da ONU com mandato para defender a liberdade de imprensa, condenou nesta terça-feira o assassinato de um apresentador de TV do Iraque.

Kamiran Salaheddin morreu no dia 02 de abril, após a explosão de uma bomba colocada em seu carro, na cidade natal dele, Tikrit. Pai de dois filhos e com pouco mais de 30 anos, ele apresentava um jornal na TV Salahaddin.

Liberdade de Expressão

A diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, pediu que o caso seja investigado e afirmou que o assassinato "não foi somente um crime contra um indivíduo, mas também contra o direito universal à liberdade de expressão." Em nota, Bokova acrescentou que "aqueles que usam armas para silenciar a mídia não devem ser permitidos de prevenir jornalistas de realizarem seu trabalho."

Kamiram Salaheddin foi o primeiro jornalista a ser assassinado no Iraque neste ano, mas desde 2008, 26 profissionais de mídia iraquianos foram mortos.

No ano passado, a Unesco realizou em Kirkuk um treinamento com jornalistas do Iraque sobre cobertura em zonas de conflito. A agência também organizou um workshop sobre o desenvolvimento de uma rede de blogueiros no país.