Dilma visita Harvard para impulsionar programa de bolsas

A presidente Dilma Rousseff visitou, nesta nesta terça-feira, a Universidade de Harvard, em Boston, nos Estados Unidos. A brasileira encontrou a presidente da instituição de ensino, Drew Faust, com quem assinou uma série de convênios. Além de Harvard, Dilma firmou parcerias com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) para impulsionar o programa de bolsas de estudo Ciência sem Fronteiras.

Dilma, no início da noite, proferiu uma palestra na Kennedy School of Government (HKS), especializada em administração pública. A HKS, uma das novas escolas de pós-graduação da universidade, tem um corpo estudantil com forte representação internacional - cerca de 50% de seus 2.860 alunos representando 140 países.

O Ciência sem Fronteiras é um projeto educacional com forte investimento governamental e que prevê conceder 75 mil bolsas em quatro anos, com o objetivo de que o Brasil avance em tecnologia e inovação através do intercâmbio de pesquisadores, estudantes e professores entre instituições brasileira e do exterior.

O programa visa ao envio de brasileiros às universidades e centros de pesquisa científica mais importantes do mundo, para que regressem a seu país e apliquem os conhecimentos adquiridos, e, por outra parte, pretende atrair pesquisadores e estudantes para o Brasil. A primeira escala de Dilma será o MIT, situado em Cambridge, e que, em 2011, se vangloriava em ter 77 prêmios Nobel (entre diplomados e professores) e 52 ganhadores de medalhas nacionais de ciências, segundo seu site.