Mortos na Nigéria vão a 36; suspeita recai sobre Boko Haram

O atentado terrorista perto de uma igreja de Kaduna, no norte da Nigéria, a 780 km de Lagos, novamente manchou de sangue o solo do país mais populoso da África. A explosão de um carro-bomba, a 500 m de uma igreja evangélica, deixou um saldo de pelo menos 36 mortos e 20 feridos, mas ainda não foi reivindicada. No entanto, a principal suspeita é de que o grupo islamita nigeriano Boko Haram seja o responsável - durante a semana, os Estados Unidos e o Reino Unido alertaram que a seita, responsável pelos graves atentados no Natal de 2011, planejava ataques na Páscoa cristã.

O ataque sangrento ocorreu por volta das 6h30 (horário de Brasília) em meio às celebrações do domingo de Páscoa em Kaduna, capital do Estado que leva o mesmo nome, quarta cidade mais populosa da Nigéria, com mais de 1,5 milhões de habitantes. A polícia e testemunhas apontam que um homem tentou entrar com um carro lotado de explosivos no complexo da igreja evangélica durante a missa, mas, depois de ser impedido pela segurança, retornou à rua e explodiu perto de um grande grupo de mototaxistas. O local é uma área comercial de intenso tráfego de veículos. A detonação deixou dezenas de corpos espalhados pelas ruas, chocando a população, e os serviços de emergência iniciaram a operação para socorrer os feridos.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo atentado, mas a escolha pelo alvo faz relembrar a série de ataques cometidos pelo Boko Haram no Natal de 2011. No mais grave deles, em 25 de dezembro, 44 pessoas perderam a vida e mais de 50 se feriram em uma igreja próxima à capital federal Abuja. Os militares de Maiduguri, capital do remoto Estado de Borno e base do Boko Haram, disseram que a seita atacou vários alvos, incluindo um banco e uma delegacia nesta segunda-feira. Na cidade, os militares também encontraram revólveres, AK47s, um colete a prova de balas e uma van usada por membros do grupo terrorista. No Estado de Yobe, vizinho a Borno, supostos membros do Boko Haram invadiram no domingo a casa do policial Hassan Isa, mataram a tiros a filha dele de 6 anos e feriram outros dois filhos de Isa.

Boko Haram

O grupo religioso fundamentalista islâmico Boko Haram é um dos mais perigosos da África ocidental. Fundado em 2002 em Maiduguri, Estado de Borno, o grupo tenta a qualquer custo aplicar a sharia (lei islâmica) no norte da Nigéria - em idioma hausa, uma das línguas africanas mais importantes, "Boko Haram" significa "A educação ocidental é pecado".

A região norte nigeriana possui maioria muçulmana, enquanto o sul é predominantemente cristão. No Estado de Kaduna, localizado nesta região, ambas as religiões estão divididas em partes iguais. Com 150 milhões de habitantes e mais de 200 grupos tribais, a Nigéria sofre múltiplas tensões pelas profundas diferenças políticas, religiosas e territoriais.