Governo publica acordo entre Brasil e México; veja regras 

Foram publicadas nesta sexta-feira as regras do novo acordo automotivo entre Brasil e México no Diário Oficial da União, em que foram fixadas novas cotas de exportação por três anos. Depois disso, os dois países devem retornar ao regime de livre comércio.

Autoridades dos dois países acertaram que o México poderá exportar US$ 1,45 bilhão em veículos ao Brasil no primeiro ano, US$ 1,56 bilhão no segundo ano e US$ 1,64 bilhão no terceiro ano.

O Brasil pediu a revisão do acordo automotivo depois que as exportações de carros do México saltaram cerca de 70% em 2011. Autoridades dos dois países acertaram que o México poderá exportar US$ 1,45 bilhão em veículos ao Brasil no primeiro ano, US$ 1,56 bilhão no segundo ano e US$ 1,64 bilhão no terceiro ano.

As concessões do México ficaram próximas daquelas que eram solicitadas pelo Brasil. No ano passado, os mexicanos exportaram US$ 2,4 bilhões em automóveis ao mercado brasileiro. A disputa estava deixando as relações entre as duas maiores economias da América Latina tensas, em um ambiente de cada vez mais medidas de protecionismo.

Os fabricantes no Brasil são prejudicados uma moeda local mais forte do que o peso mexicano e por altos impostos e salários. O Brasil está se esforçando para fortalecer sua indústria após suas exportações terem caído no ano passado em competição com produtos mais baratos da China, do México e de outros países.

Regras

No novo acordo para o comércio de veículos entre Brasil e México, foram estabelecidas cotas anuais de exportação- Para o período de 19 de março de 2012 a 18 de março de 2013, a cota será de US$ 1,45 bilhão- Entre 19 de março de 2013 a 18 de março de 2014, o valor será de US$ 1,56 bilhão- Para o período de 19 de março de 2014 a 18 de março de 2015, o valor fixado é de US$ 1,64 bilhão- Essas cotas foram definidas para reduzir a zero o Imposto de Importação- Ao exceder esses limites, haverá cobrança de imposto- O decreto também modificou a fórmula de cálculo e o índice de conteúdo regional dos veículos comercializados entre os dois países- Agora, são necessários 30% de conteúdo regional; serão 35% a partir de março de 2013 e 40% a partir de março de 2016 

Com informações da Reuters