Fidel: para manter uma amizade não é preciso compartilhar crenças

Dois dias depois de ter se reunido com o papa Bento XVI, o ex-presidente de Cuba Fidel Castro afirmou que "para se manter uma amizade não é preciso compartilhar as crenças".

Em sua coluna "Reflexões do Companheiro Fidel", que é publicada pela imprensa local, Fidel comentou, no entanto, sobre um "amável e inteligente" sacerdote que foi sempre "amistoso com seu país" sem citar seu nome. Eles teriam se encontrado na visita de João Paulo II ao país. 

O cubano falou sobre a viagem do antecessor de Bento XVI à ilha, há 14 anos. Quando o papa polonês "visitou nosso país, em 1998, mais de uma vez antes de sua chegada conversei sobre variados temas com algum de seus enviados", disse. 

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, afirmou que, durante o encontro que Joseph Ratzinger e o líder cubano mantiveram no começo desta semana, eles puderam debater temas diversos, principalmente os problemas enfrentados pela humanidade, como as ameaças ao meio ambiente.